Seja bem-vindo. Hoje é

Conheça nossa história

HISTÓRICO DO 4º BPM
         
          O 4º Batalhão de Polícia Militar, está atualmente situado no KM 67 da BR - 104, no município de Caruaru, sendo subordinado ao Comando de Policiamento do Agreste (CPA - 1), também sediado nesta cidade.

          Foi criado pelo Decreto-Lei nº 4773, de 25 de outubro de 1963, publicado no Diário Oficial do Estado de Pernambuco nº 241, de 26 de outubro de 1963.

          No dia 27 de junho de 1969, foi instalado num prédio localizado no Bairro Petrópolis, onde até então alojava a Companhia de Patrulhamento e Treinamento que, até àquela data, era a responsável pelo policiamento ostensivo da capital do Agreste e pela área atualmente subordinada ao 2º BPM.

          No dia 30 de setembro de 1969, mudou-se para o prédio onde funcionava uma Escola da Cruzada ABC, hoje Escola Elizete Lopes de Lima Pires, localizada na Rua Cristo Redentor, Bairro Caiucá. Finalmente, a 19 de dezembro de 1974, instalou-se em definitivo no atual prédio, que foi construído para ser o terminal rodoviário de Caruaru, que foi desapropriado pelo Governo do Estado e doado à Polícia Militar de Pernambuco, onde foram feitas as devidas adaptações, tornando-o apto a oferecer condições de abrigar uma Unidade Militar.

          Através do Decreto nº 7963, de 12 de maio de 1982, recebeu a denominação de “Batalhão Barreto de Menezes”, em homenagem à figura histórica que comandou bravamente as tropas luso-brasileiras, na 2ª Batalha dos Guararapes.

          O 4º BPM participa ainda dos eventos em sua área de atuação, proporcionando segurança e mantendo a Ordem Pública, destacando-se dentre os eventos principais o “São João de Caruaru”, considerado o maior e melhor do mundo, o “Festival de Jericos”, em Panelas, o tradicional “Carnaval dos Papangus”, em Bezerros, a histórica Caminhada de Frei Damião, em São Joaquim do Monte, e muitos outros, além do policiamento executado nos jogos dos Campeonatos Brasileiro e Pernambucano de Futebol, que ocorrem no Estádio Pedro Victor de Albuquerque e no Estádio Antônio Inácio de Souza, nesta cidade, e noutros municípios da região.

         O 4º BPM – Barreto de Menezes procura, através de suas operações e ações policiais, cumpre a finalidade básica da Polícia Militar: manutenção da Ordem e da Segurança Pública, alicerçado no esforço e na dedicação de cada um de seus integrantes, isoladamente, e na força que seu conjunto proporciona, para o bem-servir à Comunidade, e aos que, de alguma forma, buscam na Polícia Militar de Pernambuco um apoio ou uma solução.


HISTÓRICO DO GATI - 4º BPM


          A primeira criação de um grupo tático com a denominação GATI (Grupo de Ações Táticas Itinerante) que se têm notícias na PMPE data-se de antes do ano de 2002, no 10º BPM em Palmares. Criou-se uma equipe com uniforme preto que atuava no recobrimento do policiamento ordinário utilizando um número diferenciado de policiais e atuando em substituição a Operação Paz nas Estradas (pois as diárias destinadas ao grupo eram oriundas da não ativação daquela operação).

         Por cerca de dois anos o grupo apresentou excelentes resultados operacionais, mesmo sem ter uma viatura caracterizada (preta) e sem ter um curso de padronização de doutrina e adequada capacitação, os nossos pioneiros guerreiros do 10º BPM enfrentaram com sucesso todas as críticas que um trabalho insipiente desenvolvido numa unidade de área poderia receber, contudo a resposta sempre foi a seriedade, compromisso e o resultado operacional apresentado por estes combatentes denominados a pedra fundamental do atual GATI.

          Os anos se passaram, e em 2002, o comando do 4º BPM, sentindo uma necessidade de se ter uma tropa com especialização em ações de choque, criou um grupo tático denominado CATE (Comando de Ações Táticas Especiais) o qual também obteve um grande resultado operacional, satisfazendo as expectativas dos seus criadores.

         Iniciou-se no 4º BPM uma busca pela criação de uma doutrina e de um amparo administrativo para que os referidos grupos táticos fossem institucionalizados. Começando pela nomenclatura a equipe do 4ºBPM. Apresentou-se um projeto, onde a nomenclatura passou a ser GAT (Grupo de Apoio Tático),

         No ano de 2006 foi implantado definitivamente o nome GATI na corporação, que agora passava-se a significar Grupo de Apoio Tático Itinerante, bem como a adotar o símbolo da posição tática e o uniforme preto.

         O símbolo, que é uma posição tática extraída de uma técnica de progressão em dupla representava a técnica que seria o aspecto fundamental do grupo. A estrela ao fundo representava a Corporação Militar tendo a frente as iniciais do nome, ainda neste projeto contemplou-se o uniforme preto e a nota de instrução do primeiro curso para capacitação do GATI da história da policia militar, denominado 1º CETTAP, (Curso Especial de Técnicas e Tática Policiais) onde, dos 20 policiais inscritos, apenas 11 conseguiram concluí-lo.



HISTÓRICO DA BANDA DE MÚSICA DO 4º BPM

          A Banda de Música do 4º BPM foi fundada no ano de 1972, no dia 07 de setembro, tendo como principal incentivador para sua formação, o Ten Cel PM OZIRES DE SOUZA FERRAZ, então comandante do 4º BPM na época. Sua primeira apresentação foi realizada na cidade de Caruaru –PE e teve como primeiro regente o funcionário civil JOÃO GORDIANO DA SILVA, pertencente à Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco. A Banda de Música era composta por 30 músicos e tinha a seguinte composição:

REGENTE - JOÃO GORDIANO (BUDIÃO)
REQUINTA – MAURÍCIO
CLARINETISTAS – BARBOSA, ELENO E J. CARLOS l
SAXOFONISTAS – JOÃO SEVERINO E WILSON
TENORISTA – FERNANDO CARVALHO
BOMBARDINISTA – PEDROSA
TRUMPETISTAS – ROMILDO, REGINALDO, SEVERINO E VALENÇA
TROMBONISTAS – ERALDO, SANTOS, BRITO, FONSECA, RODRIGUES E PIMENTAL
TROMPISTAS – ARCANJO E MELO
CONTRABAXISTA – SOARES, RAIMUNDO, PORFÍRIO E PARRUDO
SURDISTAS – CARNEIRO E ALDO
TAROL – SALES
PRATO – CAETANO
BOMBO – ELIAS

         Hoje a Banda de Música do 4º BPM realiza apresentações em todo o Estado de Pernambuco, em eventos cívicos, militares e concertos nas mais diversas comemorações como emancipação política, festa religiosa, recepções, festivais de música e encontro de bandas e fanfarras.