Seja bem-vindo. Hoje é

22 de abril de 2014

HOMICIDA É PRESO POR PMs LOGO APÓS CONSTATAÇÃO DE CRIME

             Após a descoberta de um corpo e a comprovação do homicídio, policiais militares da Patrulha do Bairro Maurício de Nassau, do 4º BPM, de posse de informações do NIA(Núcleo de Inteligência do Agreste), conseguiram chegar ao autor do crime e conduzi-lo à delegacia, na manhã desta terça-feira(22).
 
          O jovem Lairton da Silva Aguiar, de 18 anos, que morava na rua Vilela, na Vila do Aeroporto, em Caruaru, estava desaparecido desde o último sábado (19), quando foi visto pela última vez bebendo com o ex-presidiário, Maviael da Silva, vulgo “Rael” de 34 anos, que chegou a ser preso ontem à noite pelo sargento Hélio e a soldado Madalena, do 4º BPM, acusado de ter matado o Lairton, mas como a vítima estava desaparecida, o acusado, que negou qualquer participação no crime, foi ouvido e liberado. Ele foi acusado pela família da vítima, por ter sido visto chegando em casa ensanguentado na manhã do domingo e mesmo lavadas, as roupas foram entregues na delegacia. Os familiares da vítima ficaram revoltados com a liberação do suspeito, mas a falta de materialidade do delito impediua a prisão do suspeito.

          Por volta das 5h da manhã desta terça-feira(22), o corpo do jovem em estado avançado de decomposição foi encontrado em um matagal ao lado da feira de gado, com várias perfurações de faca e sinais de apedrejamento. O NIA (Núcleo de Inteligência do Agreste) fez o levantamento e conseguiu descobrir onde o suposto assassino estava e acionou os soldados Samanta e Charbson da Cavalaria, que estavam a serviço da Patrulha do Bairro Maurício de Nassau, que foram até o endereço descrito pelo NIA e prenderam o suspeito. O acusado foi entregue da Delegacia de Homicídios, onde foi autuado em flagrante.
 






Os soldados Samanta e Chorbson prenderam o acusado após o corpo ter sido encontrado.
A soldado Madalena e o sargento Hélio prenderam o acusado antes do corpo ser  encontrado.
"Rael" negou ter matado a vítima.
Para justificar as roupas sujas de sangue, o acusado disse que sofreu um acidente de moto e enxugou o sangue com a bermuda e a camisa.
As roupas sujas de sangue foram entregues na delegacia.

               



Nenhum comentário:

Postar um comentário